Senador Álvaro Dias sugere a “Refundação da República” durante evento do LIDE

20180409_132836 (002)

COMPARTILHE

Durante almoço-debate promovido pelo LIDE (Grupo de Líderes Empresariais) senador do Paraná pré-candidato à Presidência da República, expôs as suas idéias e propostas

Nesta segunda-feira (9),  o senador e pré-candidato à Presidência da República Álvaro Dias foi o convidado para um debate conduzido pelo chairman do LIDE, Luis Fernando Furlan, no hotel Hyatt em São Paulo.

Com o tema do encontro As propostas para o Brasil, o senador falou sobre o cenário socioeconômico do País. “Estamos vendo a necessidade da refundação da República”, ilustrou o presidenciável. “Temos muitos problemas ainda a superar na atualidade, porém, estamos avançando e isso é parte dessa nova República.”

O senador do Podemos comentou que os casos de corrupção afastaram os investidores internacionais. “Sem os casos de corrupção, o Brasil teria uma renda per capital maior, com os brasileiros vivendo em condições melhores. O contraste entre a pobreza e riqueza ainda são gritantes no País.”

O crescimento da dívida pública também esteve na pauta da exposição do senador. “A má administração causou isso e prejudicou milhões de brasileiros. Sabemos que 40% do que o País produz vai para os cofres públicos, no entanto, a conta não fecha”, afirmou. Para o senador, a causa dos problemas tem como base o sistema de governança. De acordo com Dias, é preciso um novo sistema, para evitar especialmente novos casos de corrupção. “Há uma quantidade enorme de cargos comissionados que abrigam pessoas não qualificadas para ocupá-los, em que a escolha é feita por critérios obtusos. É preciso um enxugamento de pessoal e de benefícios.”

Dias salientou também a necessidade da reforma tributária. Sem ela, o senador afirmou que não há muitas alternativas para alavancar o País. “Com a reforma tributária, o poder público arrecadará mais com a população pagando menos. É isso que o Brasil precisa para crescer.”

O ambiente de negócios brasileiro ainda não é o mais favorável, segundo Dias. O senador comentou sobre as altas taxas de impostos e como isso afeta os investimentos e a produtividade do País. “O ajuste fiscal é nosso desafio de curto prazo; a produtividade a médio e longo prazos. O Brasil é um País privilegiado, não dá para desistir dele. Essas mudanças são inevitáveis e precisam do apoio da sociedade”, concluiu Dias.

 

Deixe uma resposta

*