De acordo com as agências internacionais, o Ministro de Turismo e Cultura da Malásia, declarou que o país deixará de sediar o GP de Fórmula 1 a partir de 2018, quando se encerra o contrato com a categoria. Segundo o ministro, a corrida além de muito cara, não estaria trazendo o retorno esperado, tanto financeiro quanto em relaíção ao público no circuito de Sepang.

A Malásia não tem tradição no automobilismo nem piloto na categoria.

De acordo com o ministro, o contrato atual vai de 2016 a 2018 e uma vez terminado, não haverá renovação. As vendas de ingresso tem caído, e o custo para manter o GP estaria em torno de US$ 68 milhões por ano, bancado pelo governo malaio e por uma empresa de petróleo do país.

Fora o GP da Malásia, outra corrida que deve sair do calendário em 2018 é o Grande Prêmio de Cingapura, de acordo com o inglês Bernie Ecclestone, promotor do campeonato mundial de F-1.

Escreva um comentário