Novo espaço será dedicado a estudantes, pesquisadores e toda a comunidade para pesquisas sobre a história da cultura japonesa, a partir de 25 de janeiro de 2020.

São Paulo – SP

No último dia 12 de dezembro, a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa (Bunkyo) apresentou somente para patrocinadores e convidados o novo Centro de Pesquisas do Museu da Imigração Japonesa, espaço que servirá para que pesquisadores e estudantes possam se aprofundar sobre temas relacionados à cultura do Japão.

Na ocasião também  foi apresentado o Museu Vivo, que vai abrigar exposições modulares e atividades variadas.

Reaberto em abril deste ano, o Museu recebeu, em 2018, um aporte de R$ 2 milhões, oferecido por empresas japonesas que atuam no Brasil, incluindo a Toyota do Brasil, para realizar a revitalização do espaço.

O objetivo da modernização foi modernizar e tornar ainda mais atrativo o museu para os visitantes e fortalecer as raízes da história dos imigrantes japoneses em território nacional, fazendo com que o local continue sendo referência para a comunidade japonesa, seus descendentes e admiradores da cultura japonesa.

Novidades
O Centro de Pesquisas vai ampliar ainda mais a colaboração do museu para a divulgação e preservação da história construída pelos imigrantes japoneses no Brasil.

Estudantes, pesquisadores e visitantes curiosos sobre este universo terão um espaço exclusivo para uma experiência imersiva sobre as histórias relacionadas à imigração de japoneses no País.

O Museu Vivo, também foi apresentado no último dia 12, integra mais uma novidade que colabora com a expansão do trabalho realizado no museu.

Nele, diversas exposições temporárias serão apresentadas, com infraestrutura preparada para os mais diversos tipos de manifestações artísticas.  O espaço também servirá de palco para a apresentação de palestras, cursos e workshops.

A Toyota do Brasil foi uma das maiores patrocinadoras da modernização do Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, que está localizado nos 7º, 8º e 9º andares do prédio do Bunkyo, no bairro da Liberdade, em São Paulo.

Engajada com diversas ações para incentivar a cultura e o fortalecimento da comunidade nikkei no País, a montadora realizou a doação de cerca de R$ 800 mil para a revitalização.

“Sabemos da importância do trabalho realizado pelo Museu, que atua historicamente para representar uma parcela da população que se une para que sua raiz, cultura e história sejam preservadas. E justamente por ter em seu DNA a valorização das pessoas, a Toyota contribuiu não só financeiramente, mas também oferecendo sugestões e novas ideias para o espaço, trabalhando intensamente e com entusiasmo neste processo de revitalização”, afirma Viviane Mansi, Regional Officer de Comunicação e Sustentabilidade da Toyota.

Centro de pesquisas. Foto: Amauri Yamazaki

Museu Histórico da Imigração Japonesa
O acervo do Museu conta com mais de 15 mil objetos, 28 mil documentos e 20 mil fotos e ilustrações em exposição e em arquivo. São 1.250 metros quadrados de área exclusiva aos visitantes, que chegam a 2 mil pessoas por mês.

Além dos números expressivos, este é o único museu do País dedicado, exclusivamente, ao capítulo da história que trata dos imigrantes japoneses no Brasil.

Após um período de mais de um ano passando por reformas, a primeira deste porte nos seus 41 anos de história, dois dos três andares que abrigam o acervo passaram por uma renovação total, oferecendo ao público melhor infraestrutura, segurança e tecnologia para imergir na trajetória da quinta maior população de imigrantes no Brasil.

Outra característica interessante é que sua reabertura coincide com a nova Era Imperial, que teve início em 1º de maio de 2019, quando o imperador Akihito abdicou para que seu filho, Naruhito, assumisse como novo imperador do Japão.

Este fato histórico simboliza um novo momento para o povo japonês. A era do imperador Naruhito foi batizada de Reiwa, que pode ser traduzida como “venerável harmonia”.

Foto: Amauri Yamazaki

Escreva um comentário