Com a possibilidade da Mercedes fazer um convite para o piloto holandês a Red Bull resolveu se antecipar e não correr o risco de perder sua grande estrela

São Paulo – SP

A equipe austríaca Red Bull Honda anunciou no dia 7 de janeiro que renovou o contrato do holandês Max Verstappen, até 2023.

Max é filho do ex-piloto de F-1, Jos Verstappen, tendo sido formado pelo programa júnior da empresa de energéticos Red Bull em 2014 e ingressado na F-1 em 2015.

Com apenas 22 anos, Max já venceu 8 provas na F-1, e está entre os 3 pilotos mais badalados da categoria junto com Lewis Hamilton (pentacampeão) e Sebastian Vettel (tetracampeão), mesmo não tendo conquistado um título.

Em 2019, especulava-se no paddock da F-1 que Max poderia ir para a Mercedes no lugar de Lewis Hamilton que poderia ir para a Ferrari no lugar de Sebastian Vettel, para realizar o sonho de pilotar pela equipe mais badalada da categoria.

Em algumas ocasiões no ano passado, seu pai Jos Verstappen, foi visto jantando com o chefão da Mercedes Toto Wolff alimentando especulações.

Porém, agora que a Red Bull resolveu antecipar a renovação do contrato de Max Verstappen por mais 3 temporadas (seu contrato vencia em 2020), o piloto holandês vai focar em conquistar seu primeiro título na F-1 pela equipe que o formou na categoria.

Para renovar o contrato do jovem holandês, estima-se que a equipe austríaca tenha pago o dobro dos US$ 9,0 milhões que Verstappen vinha ganhando até agora.

Atualmente os pilotos mais bem pagos da F-1 são: Lewis Hamilton com US$ 40 milhões/ano, Sebastian Vettel com US$ 30 milhões e Max Verstappen com US$ 18 milhões.

Caso Hamilton acerte com a Ferrari para a correr a partir da temporada de 2021, o atual pentacampeão inglês pode tonar-se o piloto mais bem pago da categoria em todos os tempos superando o alemão Michael Schumacher.

Escreva um comentário