O dólar subiu forte nesta segunda-feira fechando a R$ 4,73 e a Bolsa de Valores de SP desabou – 12,17%

São Paulo – SP

Com as notícias que no domingo, a bolsa de Tokyo havia caído 5%, que o coronavírus continua avançando na maioria dos países, e de que a Arábia Saudita havia realizado  uma brusca redução nos preços do petróleo (represaria contra a Rússia),  o mercado de ações  no Brasil despencou hoje, logo na abertura.

Quando a Bolsa de Valores despenca é utilizado um mecanismo denominado de  “circuit breaker”, que consiste em suspender as negociações por 1 hora, para tentar acalmar o mercado.

A Rússia se recusou a atender um pedido da Opep para reduzir a produção de petróleo para tentar manter os preços estáveis. Como não atendeu o pedido foi retaliada brutalmente nesta segunda-feira pela Arábia Saudita que detonou os preços, reduzindo o preço do barril em US$ 10,0 de sexta para esta segunda.

Dólar sobe forte e Bolsa de SP despenca

Logo no início das negociações, a Bolsa de Valores de São Paulo apresentava uma queda que variava de 8 a 9%, até atingir o patamar de – 10%, quando o “circuit braker” foi acionado.

O dólar abriu acima dos R$ 4,70 permanecendo com forte tendência de alta, mesmo com um leilão de US$ 3,0 bilhões do Banco Central brasileiro, para tentar minimizar a volatilidade do mercado.

O que acontece é que as previsões de desaceleração econômica mundial estão aumentando, razão pela qual o preço do petróleo que há 50 dias atrás, estava na casa dos US$ 54,0 o barril em Londres, passou a ser cotado hoje, na mesma bolsa, a impressionantes US$ 34/35,0.

Como reflexo, as ações da Petrobras despencaram apresentando baixa ao redor dos 29,70% nas ações preferenciais nominativas (PN), estando cotadas até as 17:57 de hoje a R$ 16,05.

Já as ações ordinárias (ON) estavam ao redor de R$ 16,92 representando uma baixa de -29,68%.

A queda nas cotações do petróleo é uma péssima notícia para a Petrobras que realizou investimentos  (business plan) gigantescos com o petróleo cotado a mais de US$ 60,0 o barril. Com a cotação atual a taxa de retorno da empresa vai despencar, sendo que grande parte de sua dívida é em dólar, que não para de subir.

A previsão é de que nesta terça-feira a Bolsa de Valores de São Paulo continua em queda, pois muitas ordens de venda de ações não conseguiram ser realizadas hoje.

Nesta segunda-feira negra, foram negociados R$ 44 bilhões na Bovespa, sendo que os maiores vendedores são os investidores estrangeiros.

DÓLAR ALTO

O governo brasileiro errou em ter reduzido demais a taxa de juros (4,25% ao ano) e com isso, o capital estrangeiro está tirando o dinheiro do país para retornar ao país de origem .

Com uma taxa de juros de 4,30% ao ano, a aplicação financeira fica abaixo da inflação e o grande investidor prefere comprar dólar que proporciona uma reserva de valor mais segura e líquida aqui e no exterior.

O Banco Central e o Ministério da Fazenda estão hesitando em aumentar a taxa de juros, mas se ela não subir (e muito), o dinheiro vai continuar saindo do Brasil.

O dólar alto deprecia o real, aumenta a inflação e reduz o poder de compra do brasileiro gerando recessão ou estagnação econômica.

Com a inflação alta os bancos voltam a ganhar muito pois eles não remuneram o dinheiro aplicado em conta corrente.

Gráfico da Bolsa de São Paulo hoje despencando forte com as notícias de desaceleração econômica mundial e queda abrupta nos preços do petróleo. Com a desaceleração econômica da China está sobrando petróleo no mundo. Divulgação

Escreva um comentário