Estado de SP renova quarentena até 31 de maio.

O Brasil registrou hoje 751 mortes pelo novo coronavírus atingindo novo recorde diário.

São Paulo – SP

Só os EUA registraram mais mortes que o Brasil nesta sexta-feira, 8 de maio de 2020.

ESTADOS UNIDOS: Mesmo com um sistema de saúde de boa qualidade o país tem disparado o maior número de mortos (76.475), mais que o dobro da Inglaterra que ocupa a segunda posição (31.315).

A maior economia do planeta deve atingir 80.000 vítimas fatais até domingo.

O país já iniciou a flexibilização da quarentena animando as bolsas americanas que fecharam em alta.

O presidente Donald Trump já está consciente que a pandemia do novo coronavírus trouxe prejuízos para a sua reeleição a Casa Branca. Divulgação

CANADÁ: Com uma população de 38 milhões de habitantes ultrapassou a China em número de mortos. A China tem 1 bilhão e 400 milhões de habitantes e está há 3 dias sem mortes da Covid-19.

FRANÇA: Está muito próxima de ultrapassar a Espanha em número de mortos.

ARGENTINA: Registrou até agora 285 mortos contra  do Brasil.

Estado de SP renova quarentena

SÃO PAULO: Em entrevista ao meio dia hoje na sede do governo paulista foi anunciada a segunda renovação da quarentena, até 31 de maio.  O Dia das Mães de 2020 terá o comércio fechado no estado.

Na capital, passa a valer a partir do dia 11 de  maio (segunda-feira) novo rodízio de automóveis podendo rodar nos dias pares os automóveis com final de placa par, e nos dias ímpares, os automóveis com final de placa ímpar.

A multa para quem desrespeitar o novo rodízio é de R$ 130,00 + 4 pontos na carteira de motorista.

PODERÃO CIRCULAR SEM RESTRIÇÃO: Táxis, motocicletas, transporte escolar, guinchos, veículos de socorro de incêndio e salvamento, defesa civil, forças armadas, funerários, penitenciários, conselhos tutelares e veículos do poder judiciário.

Profissionais de saúde também poderão circular desde que façam identificação na Secretaria Municipal da Saúde.

A medida gerou crítica de boa parte da população que acredita que isto vai causar mais aglomeração no transporte público, o que prejudica o combate a pandemia.

 

Escreva um comentário