Enquanto Carlos Sainz vai para a Ferrari, Daniel Ricciardo da Renault vai para a McLaren no lugar do espanhol.

São Paulo – SP

A Fórmula-1 correu para disputar o espólio do tetracampeão alemão Sebastian Vettel (32), que não teve seu contrato renovado com a Ferrari.

O contrato de Vettel tem validade até o final de 2020, com a equipe italiana.

Vettel não teve seu contrato renovado após insistir em uma renovação de 3 anos, contra uma proposta de extensão de 1 ano oferecido por Mattia Binotto (50) chefe de equipe.

Com Carlos Sainz confirmado para Ferrari (2021) hoje pela manhã e Daniel Ricciardo indo para a McLaren, resta para Sebastian Vettel um lugar, por enquanto, desocupado na Renault, a partir de 2021.

Porém, o problema seria o salário de Vettel (US$ 30 milhões/ano) em um momento em que a economia mundial deve entrar em recessão e o budget da Renault é de uma equipe de médio porte.

Fontes na Europa vazaram que além do contrato de 1 ano, a Ferrari teria solicitado uma redução de salário de Vettel, devido a situação econômica mundial causada pela pandemia e pelas  novas regras da F-1, de limitação  no teto orçamentário.

De acordo com Vettel, a redução de salário não seria o problema, mas o contrato de apenas 1 ano.

O contrato de Carlos Sainz com a Ferrari a partir de 2021, é de 2 anos.

Mattia Binotto, chefe de equipe da Ferrari, disse: “Embarcamos em um novo ciclo com o objetivo de voltar ao lugar mais alto na F-1.”

Carlos Sainz (25) fará dupla com Charles Leclerc (22) que foi considerado o terceiro melhor piloto da F-1, em 2019, atrás apenas de: Lewis Hamilton e Max Verstappen.

Daniel Ricciardo está em sua segunda temporada na Renault onde tem um salário de US$ 25 milhões/ano.
Sebastian Vettel ainda não definiu o seu futuro a partir de 2021. Foto: Ferrari
O engenheiro suíço Mattia Binotto (50) não quis Vettel por mais de 1 ano, a partir de 2021. Foto: Ferrari

Escreva um comentário