O GP da Inglaterra estava marcado para 30 de agosto em Silverstone e o GP da Austrália, para 25 de outubro.

MotoGP cancela as etapas da Grã Bretanha e Austrália devido a pandemia da Covid-19.

O Reino Unido impôs uma quarentena obrigatória de duas semanas para pessoas que entrarem na região a partir de 08 de junho, enquanto a Austrália não apresentou uma data para abrir novamente as fronteiras, tornando impossível para os países receberem as provas anuais da MotoGP.

O CEO da Dorna Sports, Carmelo Ezpezeta lamentou ter de anunciar o cancelamento por não encontrar uma maneira operacional e logística de viabilizar as duas etapas e agradeceu a compreensão e a paciência dos fãs com as adversidades.

Com o cancelamento será a primeira vez que o GP da Grã-Bretanha não integrará o calendário da MotoGP desde 77.

As provas já foram disputadas em Silverstone e Donington.

Já a situação do GP da Austrália é similar, com a prova passando a integrar o calendário da categoria em 1989.

A MotoGP já havia cancelado outras quatro provas do calendário de 2020: Catar, Holanda, Finlândia e Alemanha.

Outras quatro provas foram adiadas e aguardam uma nova oportunidade no calendário: Espanha, Catalunha, França e Itália.

Apesar dos organizadores terem que divulgar o novo calendário, a categoria deve duas provas em Jerez em julho, com a temporada devendo iniciar a temporada com o GP da Espanha em 19 de julho, seguido do GP de Andaluzia em 26 de julho, no mesmo circuito de Jerez.

A MotoGP  enfrenta muitas dificuldades em seu calendário sobre as provas de fora da Europa.

De acordo com os organizadores a categoria não deverá se deslocar para a Ásia para realizar provas sem público, já que a MotoGP depende do valor dos ingressos para custear parte das viagens e da logística.

 

Escreva um comentário