Sedã médio mais vendido no Brasil confirma liderança no ano da pandemia.

Toyota Corolla mantém liderança no segmento em 2020.

De acordo com o relatório de emplacamentos da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), entidade que representa os concessionários autorizados das montadoras, o Toyota Corolla permanece como o sedã médio mais vendido do Brasil.

O Corolla emplacou 20.240 unidades de janeiro a julho de 2020, sendo o veículo mais vendido da Toyota no país.

EMPLACAMENTOS DE AUTOMÓVEIS DE JANEIRO – JULHO 2020

O Corolla é líder absoluto em seu segmento.

Solicitamos para a montadora a versão XEi para relembrar os atributos que fazem do modelo, o campeão de vendas do segmento.

COROLLA XEi

Dentre todas as versões do sedã a mais vendida é a intermediária XEi, equipada com motor 2.0 com injeção direta de combustível, lançada em setembro de 2019.

Externamente a versão 2020 ganhou novo design, sendo que o sedã ficou 1 cm mais baixo que a versão anterior.

Nesse sentido, o centro de gravidade ficou mais baixo melhorando a estabilidade do veículo.

Os novos faróis dianteiros com regulagem de altura e sistema automático de iluminação são de halogênio nas versões GLi e XEi, em formato de três “J”, acompanhados pelas luzes diurnas DRL em LED, colocadas abaixo da linha cromada que percorre a frente do veículo.

Corolla ganhou novo design e novas dimensões. Foto: Amauri Yamazaki

DIMENSÕES

O Corolla ganhou 1 cm no comprimento passando para 4.630 mm, 1.780 mm de largura (+5 mm) e 1.455 mm de altura, contudo a distância entre eixos se manteve a mesma, 2.700 mm, e o volume do porta-malas permanece com 470 litros.

PAINEL DE INSTRUMENTOS

Está mais moderno que a versão anterior com uma tela de TFT de 4,2” colorida do lado direito que mostra o computador de bordo, com informações de marcha, consumo de combustível, hodômetro, autonomia, etc.

Painel de instrumentos mais moderno e tela multimídia de 8 polegadas. Foto: Amauri Yamazaki

MOTOR 2.0 flex

4 cilindros, 2.0l,  VVT-iE 16V DOHC de ciclo Atkinson Flex, com impressionantes 177 cv de potência a 6.600 rpm, quando abastecido com etanol, e 169 cv, a 6.600 giros, com gasolina.

De acordo com a Toyota, o torque máximo abastecido com etanol ou gasolina é 21,4 kgfm a 4.400 rpm.

Porém, ele é econômico e durante o período de avaliação fez 8 km/l na cidade com etanol.

Motor 2.0 com injeção direta de combustível com 177 cv de potência é econômico. Foto: Amauri Yamazaki

CÂMBIO CVT

Transmissão Direct Shift simula 10 marchas e proporciona a suavidade de uma transmissão CVT convencional com uma sensação de aceleração direta.

Além disso, o carro ficou mais ágil nas arrancadas.

Espaço para cinco adultos. Foto: Amauri Yamazaki

SEGURANÇA

Sete airbags (2 frontais, 2 laterais, 2 de cortina e 1 de joelho para o motorista), câmera de ré com linhas de distância, faróis com acendimento automático e ajuste de altura, controle de estabilidade, controle de tração, sistema de arranque em subida e sistema ISOFIX para fixação de cadeirinhas.

Em outras palavras, é um automóvel muito seguro.

Porta malas com capacidade para 470 litros. Foto: Amauri Yamazaki

EQUIPAMENTOS

Em suma, a versão XEi adiciona: ar-condicionado digital de 1 zona, controle de velocidade de cruzeiro, modo de condução Sport, paddle shift, sistema de destravamento das portas na chave, partida por botão, faróis de neblina dianteiros em LED e espelho retrovisor interno eletrocrômico.

GARANTIA

Agora a garantia do Toyota Corolla é de 5 anos.

TABELA DE PREÇOS:

Corolla GLi: R$ 107.990,00

Corolla XEi: R$ 119.290,00

Nesse ínterim, o sedã já teve 3 reajustes de preço em 2020.

CONCLUSÃO

Definitivamente o sedã consolidou a posição de sedã médio mais vendido do Brasil.

Acima de tudo, confiabilidade é o ponto forte do Corolla.

Dessa forma, o Corolla possui o melhor valor de revenda do segmento.

Os faróis dianteiros com regulagem de altura e sistema automático de iluminação são de halogênio nas versões GLi e XEi em formato de três “J”.

Toyota Corolla mantém liderança no segmento em 2020.

Além disso, o sedã enfrenta a concorrência dos SUVs.

 

Escreva um comentário