Os restaurantes da capital paulista registram queda de 60 a 90% no movimento do jantar.

A princípio, a maioria dos brasileiros acreditava que o fenômenos do novo coronavírus levaria no máximo de três a quatro meses para ser enfrentado.

Passados sete meses, mesmo após a reabertura do comércio, bares, restaurantes e a retomada da maioria das empresas, a pandemia continua castigando a economia pois boa parte da população continua restringindo a circulação pelos mais variados motivos.

Além disso, além de restringir a circulação a maioria da população está restringindo gastos, pois a inflação vem aumentando o preço de diversos produtos como alimentos, automóveis e produtos em geral.

Sem vacina

Sem a vacina disponível para a combater a Covid-19, a maioria das empresas ainda mantém os funcionários em home office, pois caso contrário podem sofrer processos trabalhistas.

Home Office

Uma das consequências da mudança do hábito para o home office é que os restaurantes que dependem do movimento dos funcionários das empresas registram uma queda de 40 a 60%, no almoço.

Porém, no jantar a situação é bem pior.

A maioria dos restaurantes da cidade de São Paulo registra uma queda de 60 a 90% no movimento do jantar, sendo que alguns nem estão abrindo à noite.

O resultado é que muitos funcionários dos restaurantes quando foram dispensados no final de março, acreditavam que retornariam aos seus empregos em junho, ou no máximo em julho.

Agora aqueles funcionários que foram escolhidos para ficar estão com seus empregos ameaçados, pois ninguém do setor de restaurantes conseguiu prever uma queda tão grande no movimento do jantar.

A maioria dos restaurantes da cidade de São Paulo são pequenas empresas com pouco capital de giro para aguentar um longo período na queda do movimento, e ainda enfrentar um expressivo aumento no preço dos alimentos.

No almoço o movimento da maioria dos restaurantes também diminuiu bastante devido as pessoas estarem trabalhando em home office. Divulgação

O jornalista Guga Chacra (44) da Globo News, disse na TV que cerca de 30% dos restaurantes da cidade de Nova York fecharam definitivamente.

Escreva um comentário