Sedã vem com motor 4 cilindros, flex, 2.0, com 155 cv de potência.

Avaliamos no Honda Civic EX automático 2021.

Um dos automóveis mais vendidos em todo o mundo o Civic, infelizmente, deixará de ser produzido no Brasil, no segundo trimestre de 2022.

A informação já circulava na mídia especializada há 3 anos, mas nunca foi confirmada pela montadora sob a alegação de que não comenta estratégias futuras.

Em sua décima geração, o Civic atualmente ainda é produzido na cidade de Sumaré, no interior do estado de São Paulo.

Contudo, a partir do segundo semestre de 2022, o sedã deverá ser importado dos Estados Unidos com preço superior ao aplicado ao Civic produzido no país, devido aos impostos.

A princípio, a notícia trouxe tristeza para os clientes mais velhos da marca, pois muitos tornaram-se clientes da Honda através do Civic, quando o presidente Collor abriu as importações de automóveis no país.

A décima geração cresceu em tamanho e robustez chegando a lembrar o Accord e proporcionando um outro patamar de dirigibilidade e conforto.

Todas as versões 2021 passaram a ser equipadas com faróis com regulagem elétrica de altura. Foto: Amauri Yamazaki

Design

O Civic tem design esportivo e foi projetado para atender o público jovem dos Estados Unidos, onde costuma vender mais que o Toyota Corolla.

O sedã tem grade frontal e molduras laterais do para-choque com acabamento cromado, bem como rodas de liga leve de 17 polegadas, com acabamento em grafite brilhante.

Na traseira, todas as versões possuem acabamento cromado na parte inferior do para-choque.

Rodas de liga-leve de 17 polegadas escurecidas e entre-eixos de 2.700 mm . Foto: Amauri Yamazaki

Interior

A linha 2021 ganhou sistema multimídia de 7 polegadas, com conectividade Apple CarPlay e Android Auto, além de iluminação no porta-luvas e nos espelhos dos para-sóis.

A versão EX vem com ar-condicionado digital de uma zona, freio de estacionamento eletrônico com função Brake-Hold, controle de cruzeiro, botão ECON de modo de condução econômico, vidros elétricos com função “um toque” para subida/descida em todas as posições, câmera para manobras em ré, além de bancos de couro.

Comandos de som, telefonia, câmbio e piloto automático no volante, além de painel multimídia de 7 polegadas. Foto: Amauri Yamazaki

Na linha 2021, a versão EX passou a contar com sistema de chave Smart Key, que elimina a necessidade de chave para abertura e partida do veículo, que é feita por meio do botão Push Start.

Além disso, a versão EX agora conta com saídas de ar-condicionado traseiras e sensor de estacionamento traseiro.

Bancos e couro e airbags laterais. Foto: Amauri Yamazaki
Saída de ar-condicionado para os passageiros do banco traseiro. Foto: Amauri Yamazaki
Espaço para cinco adultos. Foto: Amauri Yamazaki

De acordo com a montadora, o Civic foi desenvolvido para competir com sedãs sofisticados, como sensação ao volante, precisão de direção, qualidade de rodagem e nível de ruído e vibração.

Também se destacam o desempenho em aceleração e frenagem, a entrega de potência de forma linear e a eficiência energética.

Consumo de combustível

Durante o nosso período de avaliação o consumo com gasolina foi de 9,0 km/l com gasolina na cidade. Foto: Amauri Yamazaki

Construído sob a base de uma carroceria ultra rígida e leve, o conjunto independente de suspensões inclui a configuração de multibraços montados no subchassi traseiro, para um alto nível de estabilidade lateral.

Esse tipo de suspensão adotado no Civic é um diferencial da Honda em seu segmento.

Buchas de suspensão hidráulicas melhoram o conforto de rodagem e reduzem as vibrações, sem comprometimento da dirigibilidade esportiva.

A caixa de direção elétrica com duplo pinhão e relação variável, exclusividade do Civic no seu segmento, permite maior precisão de direção e senso de controle – com apenas 2,2 voltas de batente a batente.

A carroceria e a suspensão são robustas propiciando segurança. Foto: Amauri Yamazaki

Motor

A versão EX vem equipada com motor quatro cilindros, transversal, 2.0 I-VTEC, flex, com 155 cv de potência a 6.300 rpm e 19,5 kgfm de torque a 4.800 rpm com etanol.

Assim como, o câmbio é CVT com sete marchas simuladas que podem ser trocadas através das borboletas atrás do volante.

Motor 4 cilindros, 2.0, flex, desenvolve 155 cv de potência com etanol. Foto: Amauri Yamazaki

Segurança

Além disso, todas as versões trazem airbags frontais, laterais e de cortina, controle de tração e estabilidade VSA (Vehicle Stability Assist), sistema de partida em aclive (HSA), sistema de vetorização de torque baseado em frenagem Agile Handling Assist (AHA), luz de frenagem de emergência (pisca de forma intermitente em frenagens emergenciais), freios ABS com distribuição eletrônica (EBD), luzes de rodagem diurna (DRL), lanternas traseiras em LED e sistema de indicação de perda de pressão dos pneus (TPMS).

O porta-malas tem capacidade para 517 litros e o tanque de combustível 56 litros. Foto: Amauri Yamazaki

Garantia

Todos os automóveis Honda vem com 3 anos de garantia, sem limite de quilometragem.

O que o Civic EX tem de bom:

Design, acabamento interno, confiabilidade e valor de revenda.

O que falta no Civic EX:

Sensor de estacionamento dianteiro e aviso de ponto cego nos espelhos retrovisores externos.

Avaliação:

Definitivamente, o Civic é um carro que não decepciona quem quer um sedã.

Ficha Técnica Civic EX

Motor: 4 cilindros, em linha, flex, 1997 cm3, com 155 cv de potência com etanol e 150 cv com gasolina.

Câmbio: automático CVT com paddle shifts.

Aceleração: 0 a 100 km/ em 10,9 segundos com etanol.

Suspensão dianteira: McPherson.

Suspensão traseira: Multilink.

Freios: dianteiros e traseiros a disco com ABS e EDB.

Rodas/Pneus: Liga leve 17 polegadas 215/50 R17 –

Comprimento: 4.637 mm.

Largura: 1.799 mm (sem retrovisores).

Altura: 1.433 mm.

Entre-eixos: 2.700 mm.

Peso: 1.291 kg.

Porta-malas: 517 litros na versão EX.

Preço EX: R$ 129.700,00 (novembro 2021).

Décima versão do Honda Civic EX será substituída pela versão importada no segundo trimestre de 2022. Foto: Amauri Yamazaki

Avaliamos no Honda Civic EX automático 2021.

COMPARTILHAR

Escreva um comentário