Versão XRE é a mais vendida equipada com motor 2.0 com 177 cv de potência.

Avaliamos o Toyota Corolla Cross XRE 2.0 flex.

O Corolla Cross foi lançado no meio da pandemia em março de 2021, com a missão de atender os clientes que estavam optando pelos SUVs da concorrência como o Jeep Compass, Hyundai Creta, Honda HR-V e Chevrolet Tracker.

Além disso, o SUV também tinha como missão enfrentar o VW Taos lançado posteriormente com muitos recursos, mas com preço elevado.

A versão XRE é a topo de linha com motor 2.0 flex, sendo a mais vendida de toda a linha.

Dirigibilidade é um dos pontos altos do SUV, que proporciona conforto, espaço, potência e eficiência energética.

Design robusto e faróis em LED. Foto: Amauri Yamazaki

Conforto

Uma das características que chamam a atenção é a maciez da suspensão, isolamento acústico eficiente e uma mecânica bem acertada.

Nesse sentido, o motor 2.0 tem potência e torque suficientes para transportar os passageiros com agilidade e baixo nível de ruído na cabine.

Apesar de ter uma altura do solo de apenas 1,6 cm mais alta que a do Corolla sedã, o Cross passa sem dificuldade na maioria das lombadas com o conforto de um sedã.

Entre-eixos de 2.640 mm e rodas de 18 polegadas. Foto: Amauri Yamazaki

Interior

Igual ao do Corolla sedã com acabamento interno semelhante.

A posição de dirigir é mais baixa do que a de outros SUVs, sendo que ao emparelhar com sedãs de outras marcas nos semáforos, nota-se que os passageiros ficam quase na mesma altura.

Além disso, os passageiros de outros SUVs ficam em posição mais elevada que o Corolla Cross, como o VW Tiguan, VW Taos, Jeep Compass, Hyundai Creta, entre outros.

SUV vem equipado com sistema multimídia com tela de 8 polegadas  bem posicionada.

Volante revestido em couro, velocímetro e conta giros analógico e computador de bordo digital. Foto: Amauri Yamazaki
Ar-condicionado automático e digital de uma zona com saídas de ar para os passageiros do banco traseiro. Foto: Amauri Yamazaki

Escassez de portas USB para colocar o pendrive com as músicas preferidas.

Espelhamento do celular com o sistema multimídia é realizado com cabo, enquanto em alguns concorrentes como o Chevrolet Tracker é possível realizar o espalhamento sem cabo.

Ar-c0ndicionado digital de uma zona com dutos para os passageiros do banco traseiro.

Bancos revestidos em couro com regulagem manual e material sintético preto no acabamento. Foto: Amauri Yamazaki

Airbags

Sete airbags (dois de cortina, um de joelho do motorista dois frontais e dois laterais para motorista e passageiro).

Espaço para 5 passageiros e saída de ar-condicionado para os passageiros do banco traseiro. Foto: Amauri Yamazaki

Motor

Dianteiro, transversal, 4 cilindros, 2.0, flex, 16V, e injeção direta de combustível. A potência é de 169 cv com gasolina ou 177 cv com etanol.

O toque é de 21, 4 kgfm com os dois combustíveis a 4.400 rpm.

Aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 10,1 segundos contra 9,7s do sedã.

O câmbio é do tipo CVT com simulação de 10 marchas e paddle shift no volante.

Motor 2.0 flex rende até 177 cv de potência com etanol. Foto: Amauri Yamazaki
Durante o período de avaliação o consumo com etanol na cidade foi de 7,0 km/l de acordo com o computador de bordo. Foto: Amauri Yamazaki
Design atrativo, rack no teto e rodas de liga leve diamantadas de 18 polegadas. Foto: Amauri Yamazaki
Porta-malas com capacidade para 440 litros (30 litros maior que o do Jeep Compass). Foto: Amauri Yamazaki

O que o Corolla Cross XRE tem de bom

Conforto, potência, confiabilidade e valor de revenda.

Enfim, o SUV é uma compra segura e com alto valor de revenda.

O que falta no Corolla Cross XRE

Pelo menos mais uma entrada USB no painel e sensor sonoro de estacionamento dianteiro.

Corolla Cross está disponível em 5 cores e garantia de 5 anos.  Foto: Amauri Yamazaki

Avaliamos o Toyota Corolla Cross XRE 2.0 flex.

 

COMPARTILHAR

Escreva um comentário