70? Década do Divino Maravilhoso – Doc Musical – estreia 14 março – Theatro Net

Foto: Robert Schwenck

COMPARTILHE

As Frenéticas Dhu Moraes, Leiloca Neves e Sandra Pêra estrelam espetáculo de Frederico Reder e Marcos Nauer que revisita uma das décadas mais explosivas

São Paulo – SP

Depois do sucesso de 60! Década de Arromba – Doc. Musical, que apresentou Wanderléa à frente do elenco, estreia dia 14 de março, quinta-feira, às 20h30, no Theatro Net São Paulo, o espetáculo 70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical, nova produção que faz parte da tetralogia do idealizador, produtor e diretor geral Frederico Reder e do roteirista e dramaturgo Marcos Nauer.

Desta vez, a dupla leva para o palco momentos marcantes dos anos 1970 em diversas esferas: política, moda, comportamento, esportes e artes em geral são embalados por mais de 250 músicas brasileiras e internacionais, divididas em duas partes, como num disco de vinil, em lado A (1970-1976) e lado B (1977-1979) – muitas das músicas são apresentadas em pequenos fragmentos.

De forma cronológica, depoimentos, fotografias e vídeos desfilam num grande telão.

As Frenéticas Dhu Moraes, Leiloca Neves e Sandra Pêra são as três cerejas do musical, no bloco dedicado à febre das discotecas, fenômeno que estourou nas pistas de todo o mundo há exatos 40 anos, por meio da novela ‘Dancin’ Days’.

O título do musical traz uma interrogação porque propõe questionamentos sobre as dualidades do período. “Uma década de incertezas”, como conceitua Cid Moreira em uma das retrospectivas apresentadas em projeção dentro do espetáculo.

Na grande timeline do musical, outros movimentos, como o tropicalismo, o glam rock, o punk e o reggae serão revisitados com suas mais emblemáticas canções.

De Novos Baianos (“A Menina Dança”) a David Bowie (“Starman”), Raul Seixas (“Há Dez Mil Anos Atrás”) a Led Zeppelin (“Stairway to Heaven”), Mutantes (“Top Top”) a Queen (“Bohemian Rapsody”), Caetano Veloso (“Sampa”) a Donna Summer (“Last Dance”), e Bob Marley (“No Woman, No Cry”), os números não vão apresentar atores personificando os ícones da época.

70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia – 5º andar
Rua Olimpíadas, 360 – São Paulo – SP
Estreia: 14 de março, quinta, às 20h30
Temporada: 14 de março a 2 de julho de 2019
Datas e horários: Quintas e Sextas às 20h30
Sábados: 17 e 21h
Domingos: 17h
Classificação: 14 anos
Duração: 180 minutos com intervalo de 15 min
Gênero: Musical

INGRESSOS
Quinta e Sextas-feiras:
Plateia Central – R$ 160,00 (Inteira) – R$ 80,00 (Meia)
Plateia Lateral – R$ 160,00 (Inteira) – R$ 80,00 (Meia)
Balcão I – R$ 120,00 (Inteira) – R$ 60,00 (Meia)
Balcão II -R$ 75,00 (Inteira) – R$ 37,50 (Meia)

Sábados
Plateia Central – R$ 220,00 (Inteira) – R$ 110,00 (Meia)
Plateia Lateral – R$ 220,00 (Inteira) – R$ 110,00 (Meia)
Balcão I – R$ 180,00 (Inteira) – R$ 90,00 (Meia)
Balcão II -R$ 75,00 (Inteira) – R$ 37,50 (Meia)

Domingos
Plateia Central – R$ 200,00 (Inteira) – R$ 100,00 (Meia)
Plateia Lateral – R$ 200,00 (Inteira) – R$ 100,00 (Meia)
Balcão I – R$ 160,00 (Inteira) – R$ 80,00 (Meia)
Balcão II – R$ 75,00 (Inteira) – R$ 37,50 (Meia)

FICHA TÉCNICA
Direção Geral e Produção – Frederico Reder
Dramaturgia e Roteiro – Marcos Nauer
Direção Musical e arranjos – Jules Vandystadt
Direção de Coreografia – Victor Maia
Cenografia – Natalia Lana
Figurino – Bruno Perlatto
Designer de Som – Talita Kuroda e Thiago Chaves
Cenário – Thiago Stauffer / Studio Prime
Direção de Produção – Maria Siman
Direção Executiva – Leo Delgado
Diretora Residente – Cris Fraga
Direção Musical e maestro – Vagner Mayer
Orquestração – Thiago Trajano
Fotos: Robert Schwenck

DESCONTOS:
Desconto NET: 50% de desconto para clientes net na compra de até 4 ingressos por sessão.

Capacidade: 800 lugares

www.theatronetsaopaulo.com.br

Vendas para grupos específicos: 11.94536-6682/ 21.96629-0012

Horário da bilheteria: segunda a sábado, das 10h às 22h; e domingo, das 10h às 20h30.

Pagamento: Todos os cartões de crédito, débito e vale cultura. Não aceita cheques.

Clientes NET têm 50% de desconto na compra de até quatro ingressos.

Acessibilidade

Estacionamento no Shopping
Convencional: Até 2 horas – R$ 13,00 / Demais (por hora) + R$ 3,50
Motos: Até 2 horas – R$ 9,00 / Demais (por hora) + R$ 3,50

1 comments

Decepção grande, assisti a peça ontem. A peça é um ato de ativismo homossexual disfarçado de “Década de 70”. Elvis Preasley nem foi mencionado; Star Wars e outros símbolos importantes tiveram 3 segundos apenas. Não teve nada do Topo Gigio, que foi até usado como marketing da peça. Os atores usuaram fio dental e roupas sensuais femininas em vários quadros longos de muitos minutos (Ney Matogrosso não era assim); teve 2 comediantes vestidos como mulheres (por quê? as piadas não tiveram relação com as roupas), homens de meia calça sendo femininizados o tempo todo, e “rosas azuis” de presente no final do espetáculo (rosa = mulher; azul = homem; rosa azul é “sem gênero”, uma tentativa de desconstrução de valores tradicionais). Lamentável não terem conseguido separar o ativismo gay de uma peça que deveria ser neutra e simplesmente mostrar o que se propôs: referências marcantes da década de 70.

Deixe uma resposta

*