Banco Mercedes encerra 2018 com crescimento de 49% em novos negócios

Divulgação

COMPARTILHE

Crescimento total também foi proporcionado pela recuperação do mercado de caminhões pesados, com a carteira do banco chegando ao volume de R$ 9,6 bilhões, alta de 20% em relação a 2017

Amauri Yamazaki – São Paulo – SP

O Banco Mercedes-Benz divulgou hoje em entrevista coletiva na sede do banco em São Paulo, os números de suas operações financeiras realizadas em 2018, apresentando resultados acima do crescimento do mercado de veículos, com R$ 3,831 bilhões gerados em novos negócios de janeiro a dezembro.

O montante é 49% superior a 2017, quando foram registrados R$ 2,575 bilhões.

Somente no mês de dezembro foram realizados R$ 409 milhões em novos negócios, o maior volume mensal desde 2014, quando o banco atingiu o seu ápice em faturamento.

A boa performance garantiu a consolidação da instituição como o maior financiador de veículos Mercedes-Benz do país em todos os seus segmentos de atuação.

O trabalho na busca de soluções digitais com foco nas necessidades dos clientes e concessionários resultou em um acumulado na Carteira da instituição de R$ 9,630 bilhões, o que representa um crescimento de 20% em comparação a 2017.

Impulsionada pelo início da retomada do mercado de pesados, a alta de novos negócios no segmento de veículos comerciais foi de 58%.

O Banco Mercedes-Benz registrou um montante de R$ 2,585 bilhões em novos negócios ao longo do último ano, ante R$ 1,639 bilhão no acumulado de 2017.

O alemão Christian Schüler é o presidente do Banco Mercedes no Brasil. Divulgação

Já no segmento de automóveis o crescimento foi de 4%, passando de R$ 323 milhões em 2017, para R$ 336 milhões no ano passado.

“Mesmo com um cenário político indefinido ao longo do ano, 2018 rendeu bons resultados ao Banco Mercedes-Benz. O segmento de veículos comerciais começou sua retomada, impulsionado pelo crescimento da atividade industrial e pelos fortes resultados do agronegócio, além da boa aceitação do Refrota no mercado no segmento de ônibus”, salienta Christian Schüler, presidente e CEO do Banco Mercedes-Benz.

O CDC foi a principal linha de crédito utilizada no período, totalizando R$ 2,409 bilhões em novos negócios, alta de 136% sobre 2017, quando a modalidade gerou R$ 1,021 bilhão.

Em contrapartida, a modalidade BNDES Finame caiu 21% (de R$ 1,459 bilhão em 2017, para R$ 1,155 bilhão).

“Com a redução de taxas de mercado e as mudanças no BNDES Finame, o CDC ressurgiu como a modalidade de crédito mais atrativa para o cliente no segmento de veículos comerciais. Nossa equipe trabalhou continuamente para oferecer planos e condições competitivas, que atendessem às necessidades dos nossos clientes”, completa Schüler.

2019
Para o executivo, o cenário econômico favorável do país e o esforço conjunto entre a fábrica, concessionários e banco na oferta de produtos e serviços trazem boas expectativas à instituição em 2019: “Temos um leque de produtos e serviços abrangentes, recursos digitais inovadores e proximidade com os clientes no sentido de atender suas necessidades específicas, o que nos permite vislumbrar um crescimento no ano de, pelo menos, 15% em novos negócios”.

Banco Mercedes-Benz em números

O banco Mercedes atua desde 1996 no Brasil para dar fluxo a produção de caminhões, ônibus, vans e automóveis. Divulgação

Deixe uma resposta

*