McLaren em 2018 sem Ron Dennis que deixou a empresa definitivamente

COMPARTILHE

O inglês Ron Dennis responsável pelo sucesso do time nos últimos 37 anos, vendeu todas as suas ações na McLaren devido a desentendimentos com seus sócios árabes, controladores da equipe

A McLaren inicia 2018 uma nova fase com o motor Renault, em substituição  ao motor Honda das últimas 3 temporadas, e também não contará mais com Ron Dennis (70), o principal responsável pelo sucesso da equipe após a mesma ter sido comprada do americano Teddy Meyer em 1980.

A saída inesperada de Dennis do quadro de acionistas da McLaren, ocorreu devido a desentendimentos com os seus sócios árabes, Mansour Ojjeh  (25%) e um fundo do Bahrein (50%), controladores de 75% do time, e que agora ficaram com 100% das ações.

O acordo foi realizado em julho de 2017, mas a festa de despedida aconteceu na terceira semana de janeiro deste ano em uma mega festa com atrações como o Cirque du Soleil, em Londres.

Com Ron Dennis a McLaren tornou-se uma das duas principais equipes da F-1, com 158 vitórias, 17 títulos mundiais (entre pilotos e construtores) tendo em sua equipe pilotos como: Niki Lauda, Alain Prost, Ayrton Senna, Mika Hakkinen e Lewis Hamilton.

A era de ouro de Ayrton Senna foi com Ron Dennis na McLaren. Foto: Divulgação
A era de ouro de Ayrton Senna foi com Ron Dennis na McLaren. Foto: Divulgação

Os 25% das ações de Dennis foram vendidos por 275  milhões de libras (cerca de R$ 1,220 bilhão), após uma demorada e longa briga entre os sócios, que destituíram o inglês de suas atividades executivas a força, devido aos maus resultados da equipe nos últimos 5 anos.

De acordo com os sócios árabes, Ron Dennis vinha tomando uma série de decisões equivocadas desde 2013, quando Lewis Hamilton abandonou a equipe e levou os melhores engenheiros para a Mercedes.

Ron Dennis vive atualmente com a sua segunda esposa na Inglaterra. Foto: Divulgação
Ron Dennis vive atualmente com a sua segunda esposa na Inglaterra. Foto: Divulgação

Dennis tentou resistir e até entrou com uma ação legal contra os sócios para retomar o seu cargo de CEO,  mas perdeu a batalha na justiça e fora dela.

O curioso é que um de seus principais aliados e antigo amigo pessoal, o bilionário árabe Mansour Ojjeh, tornou-se um dos seus principais inimigos dentro do conglomerado de empresas da McLaren.

Foi Ojjeh que ajudou financeiramente a equipe a crescer, quando entrou de sócio na McLaren na década de 90, fazendo de Dennis um milionário.

Foi Ojjeh também, que trouxe um fundo de investimentos barenita para comprar 50% das ações da McLaren, trazendo ainda mais dinheiro para ele e Ron Dennis. O valor do investimento do fundo barenita na época nunca foi divulgado.

A relação de Dennis e a McLaren foi de 37 anos, onde o inglês começou com o mecânico e depois comprou a equipe com alguns sócios no chamado Project 4.

Foi Dennis também que adotou a carreira de Lewis Hamilton quando ele era uma criança, até ele ganhar o primeiro título de pilotos na própria McLaren. Posteriormente, Hamilton abandonou a equipe indo para a Mercedes, pois não acreditava mais na estrutura comandada pelo inglês, Martin Whitmarsh, colocado por Dennis para comandar a equipe de F-1, enquanto ele se dedicava aos carros esportivos de passeio da McLaren.

Com Whitmarsh no comando, a McLaren perdeu Lewis Hamilton e os principais célebros da equipe e a equipe só foi para trás. Posteriormente o próprio Ron Dennis voltou a assumir a equipe, mas o estrago de anos de administração de Whitmarsh estava feito e a equipe só andou de lado, perdendo muitos patrocinadores.

No final, Dennis disse estar satisfeito em ter entrado em um acordo com os seus sócios, quanto ao valor dos seus 25% na empresa. Segundo pessoas da McLaren o ambiente entre Dennis e os demais sócios era insustentável.

O inglês agora disse que vai se dedicar a projetos envolvendo o governo inglês e comprou uma área gigante na Inglaterra, onde vai construir uma nova casa para ele e sua segunda esposa.

Foi com Ron Dennis que o brasileiro Ayrton Senna conquistou os seus três títulos de pilotos na F-1.

Briga entre os sócios árabes Mansur Ojjeh (esquerda), Ron Dennis e Shaikh Mohammed bin Essa Al-Khalifa, investidor do fundo barenita, forçaram a saída do inglês de todas as empresas do grupo McLaren. Foto: McLaren
Briga entre os sócios árabes Mansour Ojjeh (esquerda), Ron Dennis (centro) e Shaikh Mohammed bin Essa Al-Khalifa, investidor do fundo barenita, forçaram a saída do inglês de todas as empresas do grupo McLaren. De acordo com a Forbes a fortuna de Mansour Ojjeh está ao redor de US$ 3,2 bilhões. Foto: McLaren

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

*