VW foi a marca com maior crescimento no Brasil em 2018

VW Tiguan é sucesso de vendas no Brasil. Divulgação

COMPARTILHE

Lançamento de novos produtos fez o volume de vendas crescer 35% em relação a 2017

Em 2018 a Volkswagen ultrapassou a Fiat e busca aproximação com a GM que lidera o mercado de automóveis e comerciais leves no país

São Paulo – SP

O ano de 2018 foi difícil para a maioria das empresas no Brasil, mas de muitas conquistas para a Volkswagen.

Mesmo com um câmbio instável, a marca encerrou o ano como a montadora com maior crescimento em mercado, com 2,3 pontos percentuais a mais que em 2017, chegando a cerca de 15%.

“O ano de 2018 marca a consolidação da estratégia da Nova Volkswagen com a maior ofensiva de produtos da nossa história. Lançamos 11 modelos novos e, agora em 2019, manteremos o ritmo forte com o T-Cross, produzido em nossa fábrica em São José dos Pinhais, no Paraná, que chega para competir no segmento que mais cresce no País, o de SUVs”, afirma o CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si.

Em 2018, as vendas da Volkswagen aumentaram 35% em relação a 2017, chegando a 366.911 unidades.

O Gol, que passou a contar com transmissão automática em 2018, liderou as vendas da marca no País, com 77.622 unidades; o Polo foi o segundo modelo mais vendido da VW, com 69.583 unidades, sendo que mais da metade são versões com motor 1.0 TSI.

Outros dois modelos que se destacaram em 2018 foram Amarok e Tiguan.

Impulsionada pela grande aceitação da versão com motor V6, a Amarok teve 18.767 unidades comercializadas, um crescimento de 56% em relação a 2017. Já o Tiguan Allspace registrou 5.773 unidades vendidas, um resultado quatro vezes maior do modelo em 2017.

Ambos fecharam 2018 na vice-liderança em suas respectivas categorias, picape média e SUV premium.

Lançado em janeiro, o Virtus encerra o ano com 41.683 unidades vendidas e como o carro mais premiado do Brasil. O modelo, concebido para atender as necessidades dos clientes da região SAM (América do Sul, Central e Caribe), conquistou até agora mais de 20 prêmios, como o de ‘Carro do Ano’, da revista Autoesporte, ‘Melhor Compra’ e ‘Os eleitos’, da revista Quatro Rodas.

A Volkswagen também registrou um aumento de 6,2% na produção em 2018, em relação a 2017. O desempenho foi puxado pela boa performance da marca no mercado interno e pela atuação em países como Chile e Paraguai, nos quais a marca registrou crescimento de 45,6% e 73,7%, respectivamente.

A Volkswagen é responsável por cerca de 20% de todos os veículos exportados do País.

O Gol é o modelo mais exportado da marca, com 35.620 unidades embarcadas, seguido pela Saveiro (18.617), Polo (16.813), up! (15.807) e Virtus (11.475).

2019 com novidades
Apresentado em outubro de 2018, o T-Cross, primeiro SUV a ser fabricado pela Volkswagen do Brasil, chegará ao mercado no início do segundo trimestre de 2019. Com um investimento de R$ 2 bilhões, para seu desenvolvimento e modernização da produção em São José dos Pinhais (PR), o modelo faz parte da ofensiva de SUVs da Volkswagen, que prevê o lançamento de cinco modelos completamente novos.

Novo modelo T-Cross chega no primeiro trimestre e deve dar muito trabalho à concorrência. Divulgação

O primeiro deles foi o Tiguan Allspace.

Em 2019 a Volkswagen também expandirá a atuação das concessionárias digitais, que iniciaram fase piloto em dezembro de 2018. O novo conceito de venda de carros, com tela touch, óculos de realidade virtual e tablet será implementado em 30 lojas na América Latina no primeiro trimestre de 2019, gerando ainda mais negócios para a marca.

Concessionárias digitais serão implementadas pela VW do Brasil. Divulgação

Os clientes latino americanos serão os primeiros a contar com concessionárias Volkswagen com esse nível de implementação de recursos digitais, que proporcionam uma experiência moderna, imersiva e apoiam o cliente em uma melhor decisão de compra. Nesse novo formato, será possível haver concessionárias digitalizadas, flexíveis e enxutas, a partir de 90 metros quadrados. Até o final de 2019 cerca de 100 pontos de venda da marca só no Brasil já deverão contar com essa tecnologia.
.

Deixe uma resposta

*