Queda no movimento nos restaurantes de SP já está causando demissões no setor

São Paulo – SP

O medo de contrair a Covid-19 está fazendo com que os paulistanos reduzam drasticamente a frequência nos restaurantes da cidade.

Restaurantes que costumavam ter filas de 30 minutos a 1 hora no domingo tiveram uma surpresa com a queda no movimento já neste final de semana.

Movimento nos restaurantes de SP diminuem de 70 a 90%

DOMINGO – 15 de março

No domingo, em um famoso restaurante de frutos do mar no bairro do Itaim, o movimento nas mesas caiu 50%, mas em compensação os pedidos para viagem subiram 100%.

Neste restaurante, cerca de 20% dos clientes tem mais de 60 anos de idade e a maioria viaja para os EUA e a Europa, regularmente.

TERÇA (17), QUARTA (18), QUINTA (19) e SEXTA (20 de março)

De acordo com os gerentes e garçons de vários restaurantes consultados pela revista HG, o movimento veio declinando bastante durante a semana, já que muitos estão trabalhando em casa.

Nos estabelecimentos consultados o movimento caiu de 70 a 90% e os pedidos para viagem cresceram apenas 15%.

Na quinta-feira (19), às 22 horas, os garçons do famoso restaurante Sujinho na rua da Consolação, próximo a avenida Paulista,  estavam sentados nas mesas da calçada cansados de aguardar clientes.

O famoso restaurante Dinhos Place no Paraíso que na semana passada estava trabalhando apenas no almoço fechou esta semana.

DEMISSÕES JÁ ESTÃO EM PRÁTICA

Em um conhecido restaurante japonês no bairro do Paraíso, o proprietário informou aos funcionários na quinta-feira (19) após o almoço, que estão todos demitidos a partir do dia 22 de março, mas que irão receber seus salários até o final do mês, com a promessa de serem recontratados quando terminar a pandemia em São Paulo.

Alguns funcionários lamentaram pois além de perder o emprego assumiram compromissos financeiros que a partir de agora não tem mínima ideia de como irão honrar. A grande maioria é originário da região Nordeste.

No Aeroporto de Congonhas em São Paulo, um dos cafés deu aviso prévio de 20 dias para 40% dos funcionários e disse que se o movimento não melhorar após este período serão demitidos.  Muitos dos funcionários deste café tem esposa ou marido trabalhando em restaurantes e lanchonetes.

O movimento nos restaurantes de SP diminuem de 70 a 90% e o receio é de que uma parte destes estabelecimentos podem fechar definitivamente caso a pandemia dure mais de 90 dias.

Escreva um comentário